Notícias (96)

A Barragem Germinal foi inaugurada pelo governador Camilo Santana e pelo ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho. A obra está localizada entre os municípios de Palmácia e Pacoti


170811 BARRAGEM PALMACIA CG5658 webO governador do Ceará, Camilo Santana, acompanhado do ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, inaugurou mais uma obra hídrica nesta sexta-feira (11): a Barragem Germinal. Localizado entre os municípios de Palmácia e Pacoti, o equipamento, que represa o Rio Pacoti, vai suprir a demanda de água para o abastecimento público da região, beneficiando mais de 13 mil famílias do Maciço de Baturité.

Além da obra, que recebeu investimento de R$ 22 milhões, está prevista para este ano, ainda, a instalação de adutoras, ampliando a oferta hídrica nessas localidades. 170811 BARRAGEM PALMACIA CG5102 webDurante a solenidade, o governador Camilo Santana ressaltou que medidas para garantir o abastecimento não só no Interior, como na Capital e Região Metropolitana, estão sendo intensificadas pelo Governo do Ceará. “Vamos inaugurar, em setembro, uma ação inovadora no Brasil: os poços direcionais, que vão possibilitar a garantia de, no mínimo, 10% do consumo de água de Fortaleza”, projetou.

O chefe do Executivo afirmou, também, que está dando continuidade às ações emergenciais e programadas no Plano de Convivência com a Seca e no Plano de Segurança Hídrica da RMF, em parceria com o ministério. “Vamos deixar o (consumo do) Complexo Portuário do Pecém totalmente independente do açude Castanhão e das Bacias Metropolitanas”, garantiu.

Aproveitando a ocasião, o ministro Hélder Barbalho afirmou que o Governo do Ceará está autorizado a acelerar as obras do Cinturão das Águas do Ceará (CAC), para que as águas da Transposição do Rio São Francisco cheguem com mais celeridade. “O repasse dos recursos para o CAC está em dia. Este projeto tem nos unido de forma incansável”, disse.  “Vamos continuar a parceria com o Estado para garantir a oferta hídrica para os municípios e as comunidades. Estamos investindo em barragens e adutoras e nas obras da Transposição e do CAC para os anos de 2017 e 2018”, comprometeu-se.


Alívio

170811 BARRAGEM PALMACIA CG5378 webO agricultor Fernando Vieira, 73, precisou ver a barragem de perto para amenizar as angústias que a seca trouxe. Foi o pequeno Vitor, de 7 anos, seu neto, que insistiu para que o avô conhecesse o equipamento. “Ele (Vitor) pediu muito. É uma beleza, isso aqui”, apontou o agricultor para o espelho d’água. “É uma seca muito grande, meu filho. A gente precisa lavar roupa, fazer a comida, criar os bichos. E lá em casa é muita gente. Eu recebo todo mundo, sempre tem um prato a mais, e sem água é ruim. Essa barragem vai aliviar muito”, sorriu o homem.

A escassez de água na região também refletiu na rotina da dona de casa Irene Batista, de 67 anos. “Nós sofremos muito, muito mesmo com a falta d’água. Antes da barragem, o jeito era pegar (água) com o carro-pipa”, lembrou. A lavagem de roupa, ela ressalta, precisou ser com menos frequência. Foi preciso reduzir os gastos. “Agora, eu tenho fé que vai melhorar”.


Evento

Participaram da cerimônia de inauguração da Barragem Germinal, ainda, o secretário de Recursos Hídricos do Estado, Francisco Teixeira; o presidente da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), Neuri Freitas; o presidente da Companhia de Gestão e Recursos Hídricos (Cogerh), João Lúcio Farias; e deputados estaduais, federais, além de gestores municipais.

Leia também:


Camilo Santana e Francisco Teixeira apresentam balanço das obras hídricas no Ceará

Governador inaugura Barragem do Rio Cocó para beneficiar quase 11 mil famílias

Segurança hídrica: Governo reforça programa de perfuração de poços com entrega de duas novas máquinas

Ceará tem primeira perfuração de poço horizontal para captação de água do País

11.08.2017

Caio Faheina
Repórter / Célula de Reportagem

Fotos: Carlos Gibaja / Governo do Ceará

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) relança, nesta quinta-feira (10), nas línguas inglesa e portuguesa, novo Edital de Chamamento Público de Manifestação de Interesse para elaboração dos estudos e projetos de uma Planta de Dessalinização de Água Marinha para a Região Metropolitana de Fortaleza.

O edital, com todas as recomendações orientadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), já está disponível no portal da Cagece (www.cagece.com.br). As empresas interessadas deverão se manifestar até 9 de outubro de 2017, conforme edital.

Duas empresas serão autorizadas a desenvolver estudos de viabilidade, levantamentos, investigações e/ou pareceres referentes à concepção, ao financiamento, à implantação/construção e à operação da planta de dessalinização de água marinha para a Região Metropolitana de Fortaleza. Ao todo, deverão ser apresentados um conjunto de quinze estudos e projetos relacionados às áreas de engenharia, meio ambiente, operacional, financeira e jurídica.

As empresas terão 150 dias para apresentar os estudos e projetos. Após esse prazo, os estudos entregues pelas autorizadas serão individualmente avaliados segundo pesos, atributos e pontuação específicos, os quais são apresentados no edital. Ao fim um dos dois conjuntos de estudos será selecionado.

A planta de dessalinização norteará a construção da usina, representando mais uma alternativa de convivência com a estiagem. A água dessalinizada injetará 1 m³ (1000 litros) de água por segundo no sistema integrado de Fortaleza, que também abastece alguns municípios da Região Metropolitana, aumentando a disponibilidade hídrica.

Serviço

O edital na íntegra está disponível no portal da Cagece (www.cagece.com.br) e da Seplag (www.seplag.ce.gov.br).

10.08.2017

 

Assessoria de Comunicação da Cagece
Assessora de Comunicação: Dalviane Pires
Atendimento e Relacionamento com a Imprensa: Leonardo Costa e Renata Nunes
Telefones: 85 3101.1826 / 85 31011834
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O reitor da Universidade Federal do Ceará, Henry Campos, recebeu em seu gabinete, nessa segunda-feira (7), o secretário dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará, Francisco Teixeira. Os dois discutiram a formação de uma parcerias entre UFC e Governo do Ceará na área de pesquisas sobre o uso da água, dentro da atuação do rec-em criado Núcleo de Pesquisas em Águas Subterrâneas, Superficiais e Atmosféricas da UFC. A informação é da assessoria de imprensa dessa Instituição.

Henry Campos destacou a importância estratégica do núcleo para a elaboração de políticas públicas hídricas no Estado e, na ocasião, apresentou ao secretário a estrutura organizacional e científica da unidade. Também expôs fotos aéreas do espaço onde será instalada a estrutura física do núcleo, integrante do Parque Tecnológico da UFC, no Campus do Pici.

O secretário dos Recursos Hídricos elogiou a expertise da UFC na área de recursos hídricos e avaliou como “uma oportunidade” a parceria para o fomento do núcleo.

Também nesse encontro, o corpo de pesquisadores do núcleo, que hoje conta com 19 docentes, foi apresentado ao secretário pelo coordenador do Núcleo de Pesquisas, o professor Francisco de Souza Filho, que avaliou como relevante a soma de esforços entre universidade e gestão pública para a elaboração de soluções regionais. “A ideia é canalizar esse conhecimento e pesquisa para ver de que forma isso pode ser levado em benefício do nosso Estado”, afirmou o docente que foi presidente da Funceme.

Esteve presente também no encontro o professor Francisco Nepomuceno Filho, do Comitê de Implantação do Parque Tecnológico da UFC. Um novo encontro para tratar de parcerias no desenvolvimento das atividades do núcleo ocorrerá nesta terça-feira, às 14 horas, na reitoria entre Henry Campos e a coordenadora do escritório da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) em Fortaleza, Patrícia Aguiar.

Com informações da UFC

O reitor da Universidade Federal do Ceará, Henry Campos, recebeu em seu gabinete, nessa segunda-feira (7), o secretário dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará, Francisco Teixeira. Os dois discutiram a formação de uma parcerias entre UFC e Governo do Ceará na área de pesquisas sobre o uso da água, dentro da atuação do rec-em criado Núcleo de Pesquisas em Águas Subterrâneas, Superficiais e Atmosféricas da UFC. A informação é da assessoria de imprensa dessa Instituição.

Henry Campos destacou a importância estratégica do núcleo para a elaboração de políticas públicas hídricas no Estado e, na ocasião, apresentou ao secretário a estrutura organizacional e científica da unidade. Também expôs fotos aéreas do espaço onde será instalada a estrutura física do núcleo, integrante do Parque Tecnológico da UFC, no Campus do Pici.

O secretário dos Recursos Hídricos elogiou a expertise da UFC na área de recursos hídricos e avaliou como “uma oportunidade” a parceria para o fomento do núcleo.

Também nesse encontro, o corpo de pesquisadores do núcleo, que hoje conta com 19 docentes, foi apresentado ao secretário pelo coordenador do Núcleo de Pesquisas, o professor Francisco de Souza Filho, que avaliou como relevante a soma de esforços entre universidade e gestão pública para a elaboração de soluções regionais. “A ideia é canalizar esse conhecimento e pesquisa para ver de que forma isso pode ser levado em benefício do nosso Estado”, afirmou o docente que foi presidente da Funceme.

Esteve presente também no encontro o professor Francisco Nepomuceno Filho, do Comitê de Implantação do Parque Tecnológico da UFC. Um novo encontro para tratar de parcerias no desenvolvimento das atividades do núcleo ocorrerá nesta terça-feira, às 14 horas, na reitoria entre Henry Campos e a coordenadora do escritório da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) em Fortaleza, Patrícia Aguiar.

Com informações da UFC

 

 O chefe do Executivo destacou que, desde o início do seu governo, já foi investido mais de R$ 1 bilhão em obras para garantir que não falte água e para evitar racionamento

No bate-papo ao vivo em sua página no Facebook, nesta terça-feira (1), o governador Camilo Santana conversou com o secretário de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, sobre as obras de convivência com a seca no Estado. O chefe do Executivo destacou que, desde o início do seu governo, já foi investido mais de R$ 1 bilhão em obras para garantir que não falte água e para evitar racionamento. Teixeira complementou que, logo quando Camilo Santana assumiu, o Governo lançou o Plano de Convivência com o Semiárido e, depois, o Plano de Segurança Hídrica da Região Metropolitana de Fortaleza.

O governador lembrou que, no mês de julho, reforçou o programa de perfuração de poços com a entrega de duas novas máquinas. "O Ceará tem o maior programa de perfuração de poços do país. Fizemos em dois anos e meio mais de 3.800 poços profundos. As novas máquinas que poderão perfurar poços de até 400 metros devem chegar até outubro, além de uma frota de três caminhões. A meta é perfurar mais de 1.800 poços só em 2017".

"A Cagece tem diminuído as perdas, a meta é, até o próximo ano tornar o Pecém independente através de poços. Já está funcionando o Sistema Adutor da Barragem do Maranguapinho e estamos adotando medidas alternativas, como o aproveitamento da água subterrânea da Taíba", disse Teixeira. O titular da SRH também informou que os primeiros poços feitos com máquina de perfuração horizontal do país devem ser concluídos em setembro. "São quatro trechos de 250 metros, totalizando mil metros no aquífero do Cumbuco, um investimento de mais de R$ 7 milhões", explicou o secretário da SRH.

Questionado sobre as obras hídricas nos municípios de Caridade e Morada Nova, Francisco Teixeira disse que serão construídos mais de 400km de estruturas entre as regiões. "A Cogerh já está fazendo a contratação da empresa e o prazo é de 60 dias para ela ficar pronta. É uma obra muito importante, fica próxima ao Eixão das Águas, e certamente vai beneficiar muita gente".

As duas maiores obras para o abastecimento do Estado também foram citadas. "O Cinturão das Águas, de mais de R$ 150 milhões, conseguimos a liminar garantindo a retomada das obras. Se Deus quiser ela será concluída até o fim do ano. Temos hoje uma reserva que nos permite chegar até meados do ano que vem e, com a retomada das obras da transposição do Rio São Francisco, vamos conseguir abastecer o Castanhão. Estou indo para Brasília para captar mais recursos, pois somos o estado que mais investe neste setor", concluiu o secretário.

Outros temas

Perguntado por Elenilson Dantas sobre a possibilidade do retorno do Sumov, o governador respondeu que está comprometido com isso. "Recebi ontem os dirigentes do clube, vesti a camisa, recebi um título honorífico de torcedor e me comprometi com essa tarefa de voltar à ativa. Vamos inaugurar oficialmente o Centro de Formação Olímpica e queremos o Sumov jogando nesse grande equipamento".

Élder Gurgel perguntou sobre a veracidade da instalação do parque da Lego no Ceará. "Ainda não está confirmado, mas estamos fazendo, sim, toda uma articulação para trazer um parque do Lego para o Ceará, o primeiro da América Latina. É um projeto ousado e, no que depender do Governo para incentivo fiscais, infraestrutura, vamos apoiar pois é um empreendimento para atrair turismo, emprego e renda para o município de Paracuru".

Sobre moradia, Fabiane Teles perguntou sobre o "Minha Casa, Minha Vida" em Quixadá. "Estamos dependendo do cadastro da Prefeitura junto ao Banco do Brasil e o Ministério da Cidades para marcar a data da entrega. Trata-se do segundo maior empreendimento do interior do Ceará, com 1.500 unidades. Estive visitando, está muito bonito, e espero voltar em breve para inaugurar".

Na área de segurança, Jefferson Costa cobrou mais policiamento. "Tenho ampliado o efetivo de polícia em todo o Ceará. Participei na aula inaugural para 1.400 novos soldados, lá no Centro de Eventos. Há duas semanas inaugurei a Unidade Integrada de Segurança (Uniseg) no Conjunto Ceará. Antes, lá tinham três viaturas, agora são 13. Lá não tinha nenhuma motocicleta, agora são nove, tudo integrado com Bombeiros e Polícia Civil. Temos focado na prevenção, já autorizei a reforma do polo de lazer do bairro. Em breve vamos inaugurar também no Bom Jardim. Temos deixado claro que eu e o secretário André Costa não estamos poupando esforços para melhorar a segurança".

Marlene Luna parabenizou pelas obras de revitalização do entorno do monumento da Nossa Senhora de Fátima, no Crato. "Fiz toda uma urbanização lá e estamos licitando as obras de acesso ao santuário. O secretário adjunto da Casa Civil, Quintino Vieira, viajou para a Europa para ver o que tem de melhor de tecnologia em teleféricos e vamos construir lá, beneficiando os moradores e o turismo religioso da região do Cariri".

Na área de mobilidade urbana, o governador informou que na última segunda-feira (31) lançou a nova fase do programa Ceará de Ponta a Ponta, com investimento superior a R$ 400 milhões. Aproveitando o tema, respondeu a pergunta de André Felix sobre a estrada que liga Quixadá a Banabuiú. "Estive recentemente inaugurando o trecho Banabuiú-Morada Nova, unindo as regiões Sertão Central e Vale do Jaguaribe. Vale ressaltar que essa estrada é uma BR, responsabilidade da União. Já oficializei o pedido para recuperação, fiz o orçamento, custa R$ 55 milhões, cobrei junto ao Ministro dos Transportes e, se o Governo Federal não fizer, o Estado já se comprometeu em fazer, pois ela está intransitável".

Já Paulo Costa questionou sobre as obras asfaltamento entre Monsenhor tabosa e Livramento. "Ainda não foi autorizado no pacote de ontem, pois estou fazendo um financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), mas para isso é preciso licença ambiental e, lá, temos um problema com a Funai, que ainda não liberou o licenciamento da obra. Mas estamos otimistas para que em breve tenhamos um acordo em que todos saiam beneficiados". Por fim, Camilo Santana informou que, nesta sexta-feira (4), vai inaugurar oficialmente o trecho da CE-187, entre os municípios Tamboril-Nova Russas-Ipueiras, que foi totalmente revitalizado.

Veja a transmissão completa no Facebook do governador Camilo Santana.

01.08.2017

Foto: José Wagner / Governo do Ceará

Thiago Sampaio
Repórter / Célula de Reportagem

 

Para intensificar as ações do programa de poços profundos no interior do Estado, o governador Camilo Santana entregou, nesta terça-feira (18), na sede da Secretaria dos Recursos Hídricos, duas novas máquinas perfuratrizes. Agora são 18 equipamentos estaduais destinados ao trabalho de ação emergencial para minimizar efeitos da crise hídrica. Os equipamentos completam o lote das sete primeiras máquinas adquiridas por meio de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES).

As máquinas vão operar na perfuração de poços em regiões de terreno cristalino (rochosos), comum nos sertões do Ceará. Os comboios são compostos por uma máquina perfuratriz, um compressor e um caminhão de apoio. Foi investido o total de R$ 3,6 milhões nos equipamentos.

Camilo Santana detalha que o reforço visa à ampliação do trabalho em todas as regiões do Ceará, sempre priorizando aquelas que apresentam situação mais crítica no combate aos anos de seca atravessados pelo Estado. O governador lembrou, ainda, que desde 2015 foram perfurados quase 3.800 poços profundos para o benefício de centenas de famílias rurais e zonas urbanas no interior do estado.

"Com essa quantidade de máquinas que a gente tem hoje, em 30 anos de Sohidra, nós já perfuramos, em dois anos e meio, quase 40% do número de poços de toda a história. Isso mostra a importância que temos dado nessa política de levar água às pessoas, resolver o problema hídrico nas zonas urbanas, no enfrentamento dessa seca dos últimos anos. Nós queremos fazer uma política continuada, com toda a infraestrutura, para garantir sempre água para consumo e produção, além de reserva para os momentos difíceis. Vamos prosseguir para eliminar a necessidade de carros pipa pelo Estado", afirma o chefe do Executivo.

Acompanhado de representantes da Secretaria dos Recursos Hídricos, vinculadas e lideranças políticas do Estado, Camilo Santana participou de teste do novo equipamento, operando com auxílio de profissionais do setor uma das máquinas perfuratrizes recém-entregues.

quadro-perfuratrizes2.png

Segurança hídrica

_MVS2074_web.jpgDiante do cenário de seca que se prolonga por seis anos no Estado, o Governo do Ceará tem dentro do seu campo prioritário de ações o Plano Estadual de Convivência com a Seca. O planejamento prevê medidas emergenciais, estruturantes e complementares para segurança hídrica, segurança alimentar, benefícios sociais, sustentabilidade econômica, e conhecimento e inovação, além de campanhas para uso consciente da água.

Dentro deste plano, o secretário dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, ressalta que a perfuração de poços, juntamente com a construção de adutoras de montagem rápida, tem sido a grande resposta do governo para garantir água para o consumo e produção aos cidadãos do sertão cearense. Assim, a aquisição de mais máquinas significa, expõe Teixeira, uma manutenção de ritmo forte de produção por Segurança Hídrica no Estado.

"Com a frota de 19 máquinas, há a possibilidade maior de repor as máquinas quando se precisa levá-las para oficina, sem diminuir o ritmo da frota no meio rural e Interior do Ceará. Com esses equipamentos a mais, a Sohidra conseguirá manter o nível de construção de poços, mesmo que venha a necessidade de manutenção. O Governo do Ceará tem investido para que se tenha cada vez mais alternativas para convivência com a seca".

_MVS2001_web.jpgO superintendente da Sohidra, Yuri Castro de Oliveira, enfatiza que o desafio agora é superar ainda mais os números de poços perfurados no Estado, aumentando mês a mês o número de cidadãos contemplados com fontes hídricas alternativas.  "Muitas cidades e distritos, de até 30 mil habitantes, hoje estão sendo abastecidos com poços profundos no Ceará. Então esses equipamentos novos vêm a somar muito para o trabalho de segurança hídrica no Estado", opina.

Semanalmente, representantes de Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), Sohidra, Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH) e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil se reúnem para priorizar os municípios mais carentes e destinar a perfuração.

Mais oportunidade e retorno à população

Perosnagem.pngJúlio César Araújo, 24, foi um dos operadores de máquina perfuratriz a utilizar os novos comboios entregues pelo Governo do Ceará nesta terça-feira. Ele observa que, com mais ferramentas para perfuração de poços, mais rapidamente as populações que sofrem com a falta de água terão atendimento através de ação do Estado. Além disso, mais oportunidades de emprego são geradas através de novas equipes para trabalhar na perfuração.

"Essas máquinas nos trazem benefícios como a ampliação de oportunidade de empregos e também a agilidade no trabalho prestado pelo Estado nos municípios, pois o tempo de espera das cidades diminui. Antes eram muitos poços para poucas máquinas. Agora o tempo de espera da população é quase zero, o serviço ganhou ainda mais intensidade", afirma.

18.07.2017

Fotos: Carlos Gibaja, Marcos Studart e Ariel Gomes / Governo do Ceará

André Victor Rodrigues
Repórter / Célula de Reportagem

O governador Camilo Santana protocolou, nesta sexta-feira (7), ofício no Ministério da Integração Nacional solicitando a transferência da construção da Barragem Fronteiras para a responsabilidade do Ceará. Licitada desde 2014, por meio do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), a obra no Sertão de Crateús enfrenta dificuldades de implantação.

No documento, Camilo ressalta a urgência da execução, visto que a região a ser contemplada é a que apresenta maior vulnerabilidade hídrica no Estado. No atual cenário de crise hídrica enfrentada pelo Ceará, os estoques de água se encontram em torno de 12% do armazenamento total e, no Sertão de Crateús, não passam de 1,2%. Diante desse quadro, o chefe do Executivo propõe que o Governo do Ceará, por meio da Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH), tome a frente das responsabilidades técnicas e de parcerias para a construção da barragem, junto ao Ministério e ao DNOCS.

Camilo Santana ressalta que os governos estadual e federal têm desenvolvido uma parceria de trabalho conjunto nas diversas áreas de atuação, em especial na construção de barragens no Ceará. A intenção, pontua, é que o repasse das obras seja feito para que a população tenha a melhor solução, de médio a longo prazo, no enfrentamento da seca.

"O DNOCS já cedeu vários projetos de barragens, desenvolvidos sob sua responsabilidade, para que o Estado construísse, assim como o Ceará também já cedeu vários estudos para que o DNOCS complementasse e construísse as obras. (...) Entretanto, algumas dessas barragens, devido a vários fatores, encontram certa dificuldade de implantação, como é o caso da barragem Fronteiras, no município de Crateús, que está licitada há vários anos e não evolui na sua construção", explica o governador.

Projeto

O Sertão de Crateús detêm cinco reservatórios com capacidade em torno de 100 milhões de m³, e seus municípios se encontram apenas com pouco mais de 1% da capacidade total de armazenamento. O quadro de escassez histórico enfrentado pela região fez com que a SRH, ainda no final dos anos 1990, desse início a estudos para a construção da Barragem Fronteiras.

Segundo explica o secretário dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, o Rio Poti, que banha a localidade, é uma das maiores bacias do Estado e oferecerá, com a construção da Barragem, a possibilidade de grande acúmulo de água para beneficiar a população de Crateús (maior cidade da região com cerca de 70 mil habitantes) e cidades próximas, como Independência, Novo Oriente e Quiterianópolis. Porém, apesar dos projetos da SRH junto ao DNOCS, a construção ainda não foi viabilizada por dificuldades na captação de recursos.

"Essa Barragem é de grande importância para aquela população. Existe ali um potencial para acumular quase 500 milhões de m³. Essa barragem foi preliminarmente estudada pela Secretaria no final dos anos 1990, quando se fez um estudo de viabilidade, e depois foi entregue ao DNOCS. De 2004 até recentemente foi desenvolvido um projeto básico e um projeto executivo para execução. Essa obra foi licitada em 2014 e, por dificuldade de recursos para a construção dessa barragem, ela ainda não teve suas obras iniciadas", resume Teixeira.

A obra

A construção Barragem Fronteiras tem investimento em obras previsto de R$ 200 milhões. Porém, a SRH observa que o seu custo deve ser ampliado devido a alterações necessárias na estrada de ferro que liga Fortaleza a Teresina, além de gastos com a desapropriação. "Será preciso remanejar 28 km dessa estrada, a um custo de quase R$ 200 milhões. Assim, o investimento total da obra salta para quase R$ 500 milhões", revela Francisco Teixeira.

Para viabilizar a construção, o Governo do Ceará solicita que a União arque com a despesa do remanejamento da estrada de ferro, enquanto a construção da Barragem Fronteiras será executada com recursos estaduais. "O Estado se propõe a fazer uma parceria com o Governo Federal, por meio do Ministério da Integração, para viabilizar a conclusão dessa construção", conclui Teixeira.

07.07.2017

André Victor Rodrigues
Repórter / Célula de Reportagem

Comitiva que incluiu o chefe do Executivo estadual, o titular do Ministério da Integração Nacional, e secretário dos Recursos Hídricos também sobrevoou obras do Cinturão das Águas. A projeção é de que a água chegue em solo cearense até dezembro, após meses de articulação do governador Camilo Santana


017906a5-65a2-47b5-afaf-081562da4b6b.pngO governador Camilo Santana e o ministro da Integração Nacional (MIN), Hélder Barbalho e secretário dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, visitaram, nesta sexta-feira (7), as obras da Transposição do Rio São Francisco e do Cinturão das Águas (CAC), ambas na Região do Cariri. O primeiro trecho percorrido foi o canteiro de obras do Eixo Norte, do Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf), no município de Penaforte, que teve as atividades retomadas recentemente após cerca de um ano de paralisação. Além disso, Santana e Barbalho sobrevoaram trecho do CAC, em Jati.

De acordo com o chefe do Executivo, as obras são fundamentais para garantir água para estados do Nordeste, principalmente para o Ceará, que já passou dos cinco anos consecutivos de estiagem. “As ações vão ser intensificadas para que a gente possa liberar água até o fim do ano. Esse é o objetivo do ministro e o Governo do Ceará está à disposição para tornar isso possível”, disse. Segundo o governador, há a possibilidade de que os trabalhos nos empreendimentos prossigam nos fins de semana e feriados para garantir a celeridade da chegada da água no Ceará. “É uma obra fundamental, prioritária. Não podemos ficar nessa insegurança, apesar de termos feito uma série de obras para garantir água no Estado”, acrescentou.

Apesar de os índices da última quadra chuvosa (fevereiro-maio) terem ficado dentro da média, Santana não minimiza a importância das ações. “Além da garantia de água, qualquer estado precisa ter desenvolvimento, infraestrutura; ela gera, também, neste momento de crise político-econômica, oportunidade de emprego para a população”, afirmou.

Projeto de Integração do Rio São Francisco

43f9ebd9-a12a-4512-a598-7a91b9839ae3.pngMaior obra de infraestrutura hídrica do País, dentro da Política Nacional de Recursos Hídricos, o Pisf tem cerca de 477 km de extensão em dois eixos (Leste e Norte). Com a intervenção, mais de 12 milhões de pessoas, espalhadas pelos estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba, serão beneficiadas.

Em março deste ano, o Ministério inaugurou o Eixo Leste do empreendimento, beneficiando a população de Pernambuco e Paraíba. No mês seguinte, em abril, as águas do "Velho Chico" chegaram ao reservatório Epitácio Pessoa, em Boqueirão (PB). Na ocasião, foi possível reduzir o regime de racionamento de água na região metropolitana de Campina Grande.

Em junho, uma Ordem de Serviço para a retomada das obras da primeira etapa do Eixo Norte, paralisada há cerca de um ano, foi assinada pelo Governo Federal após articulação do governador Camilo Santana e cobrança de outros governadores do Nordeste. Com isso, a água do São Francisco deverá chegar no Ceará, no reservatório de Jati, até o início de 2018, após percorrer o oeste de Pernambuco. De lá, o "Velho Chico" seguirá pelos canais para contemplar também outras cidades da Paraíba, além do estado do Rio Grande do Norte. A estrutura vai evitar que os quatro estados entrem em colapso hídrico.


Cinturão das Águas


170707_PENAFORTE_MG_7203_WEB.jpgNo último dia 10 de junho, o governador Camilo Santana participou da conclusão do túnel Veneza, o mais longo da obra do Cinturão das Águas. Com cerca de 2.322 metros de comprimento, o trecho está localizado no município cearense de Missão Velha. Com a conclusão dessa etapa, o CAC já consolida 53 km de obras concluídas. A extensão vai permitir a entrada das águas do rio São Francisco, por meio do Riacho Seco (Bahia), no açude Castanhão.


Também em junho, o governador se reuniu com o ministro Hélder Barbalho para tratar das obras da Transposição do São Francisco, além da liberação de recursos para obras emergenciais no Estado, como a construção de adutoras em municípios da região do Jaguaribe. Durante a reunião, o ministro autorizou investimento da ordem de R$ 60 milhões para as obras do CAC.


O CAC é uma das maiores intervenções para garantir a segurança hídrica no Ceará. A obra vai aumentar a garantia do abastecimento humano da região do Cariri  – a segunda mais populosa do Estado –, além de tornar mais eficiente a condução das vazões para 3,5 milhões de habitantes da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).


A obra federal também vai permitir a transferência de vazões excedentes do Pisf para o Castanhão e para o açude Orós. No Trecho 1, o equipamento vai beneficiar mais de um milhão pessoas no Cariri, atendendo diretamente cidades como Jati, Brejo Santo, Abaiara, Missão Velha, Barbalha, Crato, entre outras.


Fotos: Carlos Gibaja / Governo do Ceará

Caio Faheina

Repórter / Célula de Reportagem

* Com informações de Thiago Cafardo e Weberte Lemos

 

 

Comitiva chefiada pelo secretário dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, visitou, nesta quarta-feira (06/07), fazendas que estão empregando novas tecnologias na criação de camarão e tilápia no Ceará. As iniciativas, além de se abastecerem de fontes subterrâneas, promovem o reaproveitamento da água dos tanques. Além disso, alguns viveiros começam a ser cobertos, uma iniciativa que reduz consideravelmente as perdas por evaporação.

“Costumo dizer que essa seca tem nos obrigado a quebrar paradigmas. Aqui, estamos diante de mais um exemplo disso: a carcinicultura sempre foi apontada como uma atividade perdulária do ponto de vista hídrico, e agora nos deparamos como iniciativas que demonstram o contrário”, avalia Teixeira. Segundo ele, as novas tecnologias e o uso de água de poço representam um alento para os produtores e demonstram que a atividade pode ser desenvolvida apesar das limitações hídricas.

Em Jaguaruana, município do Vale do Jaguaribe, produtores se adaptaram à escassez da água para manter a atividade. “Antes, toda produção era baseada na água captada no Rio Jaguaribe, que era liberada pelas comportas do Castanhão. Hoje, com as reservas reduzidas a níveis críticos, o setor deu respostas e, mesmo com pouca água, dá sinais de resiliência”, comenta Teixeira.

berco1

 

Para o presidente a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), João Lúcio Farias, ver a produção de camarão em circuito fechado se materializar é um alento. “Temos consciência da importância da atividade econômica, da água necessária à produção. Mas, infelizmente, atravessamos uma seca muito severa e tivemos de priorizar o abastecimento humano”, destaca.

Segundo Farias, a resposta do setor é fundamental para a economia não só local, mas do estado como um todo. “Só nesse empreendimento, são cerca de 200 empregos diretos gerados”, enumera. “Qual outra atividade no campo, excetuando uma ou outra indústria, geraria tantos postos formais de trabalho?”, avalia.

A unidade visitada em Jaguaruana tem 21 hectares em produção, sete dos quais em regime intensivo. A produção varia de 12 a 15 toneladas por hectare. “A pouca água descartada dos tanques é riquíssima em nutrientes. Ou seja, estamos diante de um rico adubo que pode ser empregado na produção agrícola, numa forma de consórcio que fecha o ciclo e torna a atividade, praticada nesses moldes, ainda mais interessante”, destaca o secretário-adjunto da SRH, Ramon Rodrigues.

camar1

 

PEQUENOS – A comitiva - integrada ainda perlo secretário-adjunto da Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa), Euvaldo Bringel, pelo diretor de agronegócios da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Sílvio Carlos Ribeiro, o superintendente da Sohidra, Yuri Castro, e empresários do setor – visitou ainda experiência de pequenos produtores que também migraram para criação de tilápias em tanques a partir da água de poços.

Essas pequenas experiências são principalmente formadas por ex-criadores que usavam tanques-rede para produzir tilápia no espelho d'água do Castanhão. Com a queda acentuada nos níveis do reservatório, a atividade ficou praticamente inviável devido à qualidade da água. “A saída foi migrar para os tanques fora da barragem, com água de poço e agregar tecnologia. Ainda estamos engatinhando, mas esse é um caminho sem volta”, avalia José Antônio Chaves de Oliveira, criador de tilápia de Jaguaribara.

tilap

 

José Antônio ainda não sente a atividade como consolidada, apesar de ser um dos criadores em estágio mais avançado na região. Por enquanto, Antônio vende apenas alevinos com cerca de 40 gramas para recria. “Como a venda é garantida para um irmão meu, que produz tilápia em Pernambuco, estou mais ou menos tranquilo. Mas quero chegar a fechar o ciclo”.

Enquanto isso não acontece, a família de José Antônio aproveita a pouca água descartada – a “chamada descarga de fundo” - com fezes, restos de animais mortos e de ração para adubar uma horta, uma plantação de batata-doce, algumas fruteiras e uma pequena capineira para o rebanho. Antônio tem atualmente oito tanques com capacidade para 78 mil litros cada. Todos produzindo alevinos de tilápia. Todos abastecidos graças à água extraída de um único poço amazonas (cacimba). Todos a mostrar como se quebram paradigmas.

 

O secretário dos Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, participa, nesta quarta-feira (21/06), de debate sobre “A inteligência na Gestão das Águas”. O debate integra a programação do seminário “Água Innovation”, que acontece até a quinta-feira (22/06), no Centro de Eventos do Ceará.

O evento, que tem início previsto para as 14 horas, tem por objetivo principal discutir alternativas de abastecimento, redução de consumo e soluções para a segurança hídrica do Ceará. O acesso é gratuito.

Também serão debatidos temas como a “Gestão de Crise na Água nas Cidades”, “São Francisco – Gestão e Impactos Econômicos e Sociais”, e “Pensando o Futuro da Águas no Ceará”. Nomes como Joaquim Gondim (ANA), Jerson Kelman (Sabesp), Kênia Régia Anasenko Marcelino (Codevasf) e Eudoro Santana (Pacto das Águas) estão confirmados nos debates.

O seminário é promovido e realizado pelo Sindicato das Indústrias da Construção (Sinduscon) e O POVO, e conta com o apoio do Ministério da Integração, Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Federação das Associações do Comércio, Indústria, Serviços e Agropecuária do Ceará (Facic) e Associação dos Jovens Empresários de Fortaleza (AJE).

Confira a programação:

 

O secretário dos Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, participa, nesta quarta-feira (21/06), de debate sobre “A inteligência na Gestão das Águas”. O debate integra a programação do seminário “Água Innovation”, que acontece até a quinta-feira (22/06), no Centro de Eventos do Ceará.

O evento, que tem início previsto para as 14 horas, tem por objetivo principal discutir alternativas de abastecimento, redução de consumo e soluções para a segurança hídrica do Ceará. O acesso é gratuito.

Também serão debatidos temas como a “Gestão de Crise na Água nas Cidades”, “São Francisco – Gestão e Impactos Econômicos e Sociais”, e “Pensando o Futuro da Águas no Ceará”. Nomes como Joaquim Gondim (ANA), Jerson Kelman (Sabesp), Kênia Régia Anasenko Marcelino (Codevasf) e Eudoro Santana (Pacto das Águas) estão confirmados nos debates.

O seminário é promovido e realizado pelo Sindicato das Indústrias da Construção (Sinduscon) e O POVO, e conta com o apoio do Ministério da Integração, Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Federação das Associações do Comércio, Indústria, Serviços e Agropecuária do Ceará (Facic) e Associação dos Jovens Empresários de Fortaleza (AJE).

Saiba mais:

Programação dia 21

13h - Credenciamento

14h _às 14h30min -Solenidade de abertura

15h30min às 16h40min - Inteligência na gestão das águas

16h41 - Intervalo

17h05min - 18h30min -Gestão de crise de água nas cidades

18h30min ás 19 - A saúde da água que você bebe

 

Pagina 1 de 10