Página Inicial Imprensa Noticias PROGRAMA ÁGUA DOCE: SRH entrega sistemas de dessalinização na zona rural de Caridade

PROGRAMA ÁGUA DOCE: SRH entrega sistemas de dessalinização na zona rural de Caridade

Avalie este item
(1 Votar)

Equipamentos garantem água de qualidade a 229 famílias que residem em comunidades do município

O Secretário dos Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, e o Secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Jair Tannús Júnior,  entregaram, nesta quarta-feira (14/12), na comunidade de Pereiros, no Município de Caridade, cinco sistemas de dessalinização do Programa Água Doce (PAD). As intervenções  atendem a  229 famílias com água de qualidade:  Pereiros – 84 famílias; Humaitá – 42; Ipueira de Baixo – 41; São Vicente - 28; e São João/Pedra Preta – 34 famílias. Na comunidade de Pereiros, o valor do investimento para a implantação do sistema de dessalinização, incluindo as obras civis, aquisição do equipamento e gestão, foi de cerca de R$ 200 mil reais, beneficiando aproximadamente 500 pessoas.

"A nossa vinda aqui não encerra um processo. Antes, inicia uma nova etapa na vida de cada comunidade beneficiada com esses equipamentos que vão garantir mais do que água pura, de qualidade. Vão garantir cidadania". Com  essas palavras, o secretário dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, comemorou a entrega dos dessalinizadores, na manhã de ontem, na comu nidade de Pereiros. Também destacou a parceria do Governo do Ceará com o Ministério do Meio Ambiente. E ressaltou a importância do engajamento dos moradores de cada comunidade na operação e manutenção dos equipamentos, além de destacar a importância que o governador Camilo Santana atribui ao "Água Doce".

"Infelizmente o governador Camilo Santana não pode estar aqui nesta manhã devido a outros compromissos. Sou testemunha da importância que ele dá ao PAD, exatamente por levar água de qualidade às pessoas que mais precisam", disse Teixeira. Segundo ele, o governador Camilo destaca o PAD como um  programa que une todas as esferas: União, estados, prefeituras e, talvez proncipalmente, as comunidades. "Daí o êxito do Programa Água Doce", disse.

O Secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Jair Tannús Júnior, destacou o protagonismo do Ceará, estado segundo ele com maior número de equipamentos já instalados dentre todos os participantes do programa. "Isso nos anima a prosseguir, a ampliar essa parceria", disse. Para o coordenador nacional do PAD, Renato Saraiva, um dos grandes diferenciais do programa está na mobilização da comunidade. "É fundamental o engajamento das comunidades. Esse é um dos pilares do Água Doce."

Trata-se de uma ação estruturante para levar água de qualidade às populações mais carentes que residem em áreas isoladas das comunidades rurais dos municípios do sertão. O PAD soma-se às milhares de intervenções que o Governo do Ceará vem desenvolvendo – tanto em áreas rurais como em zonas urbanas -  para mitigar os efeitos da atual estiagem, que já é considerada a mais severa dos últimos 100 anos.

Pelo convênio firmado com o Estado do Ceará, por meio da Secretaria de Recursos Hídricos do Estado do Ceará – SRH/CE o Programa Água Doce tem como meta a implantação, recuperação e gestão de 277 sistemas de dessalinização, o que beneficiará cerca de 100 mil pessoas, com investimentos no valor de R$ 47.087.618,07.

O PROGRAMA - O Programa Água Doce (PAD) é uma ação do Governo Federal, coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente em parceria com diversas instituições federais, estaduais, municipais e sociedade civil que visa a estabelecer uma política pública permanente de acesso à água de qualidade para o consumo humano, incorporando cuidados técnicos, ambientais e sociais na implantação, recuperação e gestão de sistemas de dessalinização de águas salobras e salinas. No Ceará, o PAD é desenvolvido em parceria com a Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH).

A partir de 2011, o Programa Água Doce assumiu a meta de aplicar sua metodologia na recuperação, implantação e gestão de 1.200 sistemas de dessalinização até 2018, com investimentos de cerca de R$ 255 milhões beneficiando, aproximadamente, 500 mil pessoas em todo o Semiárido. Para o atingimento desta meta foram firmados 10 convênios com os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Sergipe e Rio Grande do Norte.

Os convênios estão estruturados em três fases: 1) diagnósticos técnicos, sociais e ambientais; 2) Recuperação e implantação dos sistemas de dessalinização e; 3) Monitoramento e Manutenção dos sistemas de dessalinização implantados ou recuperados. Até o momento já foram realizados diagnósticos socioambientais e técnicos em 3.339 comunidades rurais de 316 dos municípios mais críticos quanto ao acesso à água na região semiárida.

 

Ler 718 vezes Última modificação em Quarta, 14 Dezembro 2016 20:07